“COMO VOCÊ CONSEGUE LER TANTOS LIVROS?”

Essa é uma pergunta muito comum que eu tive que me habituar a responder. Em geral, ela vem associada a comentários do tipo “você deve ter muito tempo livre”, “você deve ter nascido com esse dom”, “se eu tivesse uma história como a sua eu também leria muito”, “pra você deve ser fácil, já que sempre fez isso”…

Durante muito tempo esse tipo de comentário me incomodou, eu me sentia injustiçada por causa disso. Minha tendência natural era enumerar as táticas que eu utilizava para aumentar a quantidade de livros, ainda hoje eu pego fazendo isso.

O fato é que a leitura, infelizmente, ainda é algo pouco valorizado em nosso país. Esses tipo de comentário é apenas um reflexo da nossa preferência pelo analfabetismo. Sim, a leitura dá trabalho, eventualmente temos que pesquisar o significado de algumas palavras, temos que parar para refletir sobre o que está escrito, organizar as ideias de uma forma que para nós faz sentido e por aí vai.

Eu não leio porque sou especial ou porque fui treinada pra isso. Eu leio porque sei a diferença que a leitura faz. Tenho milhares de resultados positivos por causa da implementação desse hábito na minha vida. Eu viajo sem gastar, renovo as minhas esperanças, me torno mais tolerante e compreensiva a respeito dos contextos que me cercam, acelero meus resultados pessoais e profissionais, tudo isso eu consigo a partir do contato com um livro.

A maioria das pessoas que afirma que não gosta de ler não imagina o poder transformador de um livro. O engraçado é que essas mesmas pessoas passam horas nas redes sociais e no whats app e, aparentemente, ainda não perceberam que se valem da sua habilidade de ler para poder fazer isso.

Aproveito pra encerrar essa reflexão citando um trecho escrito por Davi Lago, no site do G1, no dia 06 de janeiro de 2019 sobre o hábito de leitura dos brasileiros. Vejamos:

“A 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro considera “leitor” aquele que leu pelo menos um livro nos últimos três meses – inteiro ou em partes. Os dados de 2016 revelam que o brasileiro lê em média 2,43 livros por ano. O baixo índice de leitura é uma de nossas mazelas históricas e aponta para o empobrecimento dos debates brasileiros. Por óbvio, o repertório amplo de leituras contribui para o amadurecimento do espírito crítico do cidadão. O que é a realidade senão a leitura que fazemos dela?

(…)

“De fato, ler não é tão simples. Ler não é uma atividade passiva, estática, mas dinâmica. Do mesmo modo que uma biblioteca não é um mero depósito silencioso de livros. Na leitura há o cruzamento de dois mundos e a possibilidade de se perceber as coisas através de outro ponto de vista. Um livro é um mundo: o mundo de leituras de seu autor dialogando com o mundo do leitor. Por isso, a leitura nunca será igual para dois leitores. Este processo é, sobretudo, civilizador.”

E você, acredita que a leitura é um dom ou que isso é um mito incentivado com a intenção de manter o povo brasileiro afogado no analfabetismo?

4 Thoughts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s