Quem me vê dançando assim…

Julho de 2019 chegou e eu confesso que estava contando os dias!

Há mais ou menos um ano eu comecei a direcionar minhas energias para uma transição de carreira e hoje estou celebrando essa escolha!

Eu tinha 17 anos quando escolhi minha profissão e naquela época tudo que me motivava era ter uma boa situação financeira. Eu achava que o melhor meio de obter isso era tendo uma remuneração alta e estar em um cargo que me proporcionasse estabilidade.

Acabei descobrindo alguns anos depois que equilíbrio financeiro tem muito mais a ver com a forma de pensar sobre o dinheiro do que com a quantidade que se ganha.

Também descobri que ter estabilidade, na maneira como eu imaginava, me limitava. Eu estava me sentindo infeliz exercendo um cargo público temporário, entrei em um ciclo de trabalhar pelo dinheiro, detestava as segundas-feiras, sonhava com o “sextou” e torcia desesperadamente pelos feriados.

A melhor coisa que fiz por mim foi reconhecer que não valia a pena continuar estudando para concursos, já que a rotina de trabalho me deixaria extremamente desanimada. O único problema era que passar em um concurso, durante muito tempo, era o meu único plano.

Eu estava me sentindo muito perdida. Ficava horas a fio me justificando, um dia acordava decidida a buscar outro rumo, outro dia estava de volta aos estudos, chorando e me lamentando.

Uma das coisas que me aliviava era o fato de eu sempre estar investindo em autoconhecimento, então naqueles dias muito ruins eu tinha alguns recursos que me ajudavam a ativar um estado emocional positivo e continuar suportando.

À medida que me confrontava, a clareza ia se aproximando. Fui vasculhar o meu repertório, revisitar as coisas que eu mais gostava de ler, conversar e pesquisar. Notei que sempre estive em busca de desenvolvimento pessoal, adorava abordagens que promoviam autoconhecimento e já tinha um vastíssimo repertório de inteligência emocional. Foi a partir dessa incursão que desenvolvi um novo plano.

De lá pra cá, fiz duas formações em coaching e duas em analista comportamental. Tornei-me microempreendedora e comecei a trabalhar com treinamentos de inteligência emocional. Não preciso de despertador pra levantar e fazer o que eu amo.

Eu trabalho ajudando as pessoas a tomarem decisões assertivas, se conhecerem um pouco mais e terem clareza em relação aos seus objetivos. Também as ajudo a montar e desenvolver seus próprios planos. Aplico testes que auxiliam na descoberta de seus padrões de personalidade, forças pessoais, motivadores de carreira, linguagem de valorização, etc… Meu trabalho é ajudar as pessoas a encontrar sentido. E sabe o que é mais legal? Tudo o que eu faço profissionalmente já aconteceu comigo!

Como diria Sol Almeida, “o mundo gira, palmas pras voltas que o mundo dá.. quem me vê dançando assim, mão pra frente, gira gira, tô limpando você da minha vida”... De fato, estou limpando a atuação jurídica da minha vida!

Ao longo dos meus 28 anos, um dos aprendizados mais significativos que tive foi o de honrar e respeitar a própria história e é com esse sentimento de honra que eu encerro essa etapa da minha vida.

Conheci pessoas maravilhosas enquanto fiz parte do mundo jurídico, algumas dessas pessoas caminham até hoje comigo. Igualmente, tive experiências maravilhosas, tais como dia que eu descobri que tinha tirado nota máxima na redação da federal, o que me oportunizou a entrada no curso de direito e o dia que eu li meu nome na lista de aprovados da OAB, ainda no nono semestre da faculdade;

Além disso, casei-me com um colega de faculdade, apaixonado pelo Direito. Ganhei uma amiga que virou irmã (Juliana), outras que cuidaram de mim quando tive depressão (Hannah e Nath), uma que me ensinou absurdamente sobre disciplina (Kiane), outra com quem dividi confidências da juventude e que também dirigiu meu carro durante 6 meses até eu conseguir tirar minha habilitação (Ayara).

Eu também desenvolvi pensamentos ideológicos, comecei a entender algumas realidades políticas e sociais e aprendi a me posicionar melhor como cidadã a partir do meu contato com o universo jurídico. Aprendi bastante com minhas especializações em Direito (previdenciário, consumidor e trabalhista) e me apaixonei por responsabilidade civil e contratos.

Eu tenho uma história incrível com o Direito, que fez muito sentido para mim até certo tempo. Mas o que me move a partir de agora está relacionado a outras competências, que ao longo de um ano, fui me planejando para começa a executar. Chegou a hora! E novamente, valendo-me de uma licença poética “Joga a mão pra cima e gira, gira…“:

One thought

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s