O SEGREDO PARA SER CORAJOSO

Já que ontem eu falei sobre medo, hoje o tema será coragem.

Tenho a impressão de que a coragem é tratada de uma forma meio mística, como se apenas alguns seres humanos especiais tivessem sido selecionados para ter essa característica.

Eu, inclusive, até pouquíssimo tempo não me considerava uma pessoa corajosa. Foi a partir de um raciocínio construído pelo professor Cabrera, em uma aula da pós graduação, que eu subitamente percebi que a coragem estava muito presente nas minhas escolhas de vida.

Na ocasião, o professor nos recomendou fazer uma autobiografia a fim de reconhecer os nossos ciclos de vida. À medida que buscava informações a meu respeito, constatei que na maioria das vezes em que precisava tomar uma decisão sempre optava pelo caminho mais difícil.

Por exemplo, aos 10 anos de idade tive que escolher entre morar com os meus pais e comprometer minha educação (já que eles haviam se mudado para uma cidade onde as condições de ensino eram terríveis) ou abrir mão do conforto da minha casa e passar a morar com os meus avós, a fim de estudar em uma escola mais estruturada. Adivinha o que eu decidi?

Aos 13 anos tive a oportunidade de mudar para o Mato Grosso do Sul, a convite de uma tia. Seria algo extraordinário considerando os meus sonhos profissionais, só que ficaria a 3.000km de distância do meu principal núcleo familiar. Já dá pra saber o que eu fiz, não é mesmo?!

Aos 16 anos, ganhei uma bolsa de estudos para uma faculdade particular, mas optei por fazer cursinho e continuar estudando para entrar em uma universidade pública. Ouvi de muitas pessoas que eu era completamente louca, já que tinha estudado a vida inteira na escola pública. Eu preferi “pagar pra ver” e um ano depois estava fazendo a matrícula em Direito na UFMS.

Quando chegou o momento de tirar a habilitação, decidi que queria carro e moto. Teve uma grande parte da família que super me ‘zuava’, me chavama de barbeira e dizia que eu não conseguiria… De fato, não posso dizer que piloto bem uma moto, mas a minha carteira A está garantida!

Tenho muito medo de altura, mas já fui passear no topo da Table Moutain e fiz uma caminhada pelas montanhas do Cabo da Boa Esperança.

No topo da Table Mountain
Na trilha do cabo da Boa Esperança

Tenho muito medo de avião, mas nunca deixei de viajar por causa disso. Embarco tremendo, fecho os olhos na decolagem e são poucas as vezes em que contemplo a paisagem pela janela… Falando nisso, quase tive um ‘passamento” quando inventei de sobrevoar os lençóis maranhenses de monomotor..

Sou ligeiramente claustrofóbica, mas fiz uma passeio de submarino…

Também caminhei com leões quando fui pra Ilhas Maurício…

E além de tudo isso, tomei banho gelado no oceano índico (vejam a minha cara de satisfação):

Também tive a coragem de terminar um relacionamento com a pessoa que eu tinha total convicção de que amava (sofri lascada), porque sentia que não era o melhor momento (hoje nós somos casados, ambos percebemos o que estávamos perdendo haha).

Não vou nem mencionar as inúmeras vezes em que fui desprezada ou rejeitada por ter assumido determinados tipos de posicionamento…

As minhas histórias de vida me fizeram perceber que a minha coragem não é inata, ela sempre esteve associada a um tipo de benefício que eu vislumbrava. Ou seja, na minha opinião, o segredo para ser corajoso é:

APRENDER A SE QUESTIONAR E TER UM OBJETIVO CLARO EM MENTE

Pensando nisso, te proponho as seguintes perguntas:

O que você quer? Por que isso é importante para você?

Quem, além de você, será beneficiado com os resultados da sua coragem?

A longo prazo, o que será mais compensador para você: a coragem para avançar e superar limites ou a estagnação por ocasião do medo?

Que estratégias você pode adotar para tornar a sua escolha menos sofrível?

Com quem você pode contar para trilhar esse novo caminho?

Quando o desânimo bater, o que você poderá fazer para se recarregar emocionalmente ?

Que histórias você deixará de contar porque não ousou confrontar o medo?

Quem você poderia se tornar?

Quem você poderia ajudar, se não tivesse medo?

Não posso dizer que ter coragem é fácil, mas posso dizer que ser corajoso é muito melhor do que viver aprisionado pelo medo. É uma questão de escolha. No final das contas, o ato mais corajoso é ousar ter objetivos.

Vou terminar esse texto com uma musica bem sugestiva: TRAMPOLINE

Pra ti que me leu até o final, mil beijinhos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s