Oi sumida!

Olá meu querido leitor que morreu de saudade e ao primeiro sinal de meu retorno já correu para saber o que eu estava aprontando… Vou retomar meus textinhos e já quero deixar claro:

Seria mágico se eu pudesse falar pra você que sumi porque estava em um sabático na Irlanda me aprofundando na cultura celta, que é algo que eu realmente amo, mas não foi bem assim.

Comentei nos posts anteriores que estava passando por uma transição de carreira e nesse ínterim, muita coisa aconteceu! Não é nada simples ter um negócio que nesse primeiro momento depende integralmente de mim!

Preciso administrar muitos detalhes: planejar atendimentos (que são altamente personalizados), alimentar planilhas (faturamento, parcelamentos, despesas, reservas…), estudar sobre vendas, fazer networking, melhorar a comunicação, definir linha editorial e criar pautas, estudar diariamente (tenho uma lista infinita de livros e aulas), fazer levantamento de erros, promover ajustes…. enfim baby, existe um longo caminho a percorrer antes de receber o pro labore!!

Posso dizer que esse começo está sendo realmente ‘puxado’. Percebi que a maior parte do trabalho está nos bastidores e que por mais que eu goste da minha nova atuação, a parte administrativa é desafiadora e muito pesada. Apesar disso, chego ao final do ano me sentindo absurdamente feliz!!! Foi um ano de muitíssimos avanços.

Agora que a minha rotina está mais organizada, vou conseguir retomar os posts no blog. Vou escrever de maneira mais organizada sobre minha atuação, experiências de atendimento e de vida pessoal, dar dicas de inteligência emocional, filmes, cursos e livros… Enfim, vou transformar esse endereço em um arquivo pessoal, começando pela minha retrospectiva.. Quer mais detalhes? Volta amanhã… e depois de amanhã.. e depois, e depois… só vem!

Ps.: Amanhã vou te confidenciar um super medo que superei em 2019 e te dar uma dica sobre como superar medos e viver com mais leveza em 2020.

Vou te esperar por aqui.. enquanto isso, que tal curtir uma vibe celta?

Mil beijinhos!

Quem me vê dançando assim…

Julho de 2019 chegou e eu confesso que estava contando os dias!

Há mais ou menos um ano eu comecei a direcionar minhas energias para uma transição de carreira e hoje estou celebrando essa escolha!

Eu tinha 17 anos quando escolhi minha profissão e naquela época tudo que me motivava era ter uma boa situação financeira. Eu achava que o melhor meio de obter isso era tendo uma remuneração alta e estar em um cargo que me proporcionasse estabilidade.

Acabei descobrindo alguns anos depois que equilíbrio financeiro tem muito mais a ver com a forma de pensar sobre o dinheiro do que com a quantidade que se ganha.

Também descobri que ter estabilidade, na maneira como eu imaginava, me limitava. Eu estava me sentindo infeliz exercendo um cargo público temporário, entrei em um ciclo de trabalhar pelo dinheiro, detestava as segundas-feiras, sonhava com o “sextou” e torcia desesperadamente pelos feriados.

A melhor coisa que fiz por mim foi reconhecer que não valia a pena continuar estudando para concursos, já que a rotina de trabalho me deixaria extremamente desanimada. O único problema era que passar em um concurso, durante muito tempo, era o meu único plano.

Eu estava me sentindo muito perdida. Ficava horas a fio me justificando, um dia acordava decidida a buscar outro rumo, outro dia estava de volta aos estudos, chorando e me lamentando.

Uma das coisas que me aliviava era o fato de eu sempre estar investindo em autoconhecimento, então naqueles dias muito ruins eu tinha alguns recursos que me ajudavam a ativar um estado emocional positivo e continuar suportando.

À medida que me confrontava, a clareza ia se aproximando. Fui vasculhar o meu repertório, revisitar as coisas que eu mais gostava de ler, conversar e pesquisar. Notei que sempre estive em busca de desenvolvimento pessoal, adorava abordagens que promoviam autoconhecimento e já tinha um vastíssimo repertório em inteligência emocional. Foi a partir dessa incursão que desenvolvi um novo plano.

De lá pra cá, fiz duas formações em coaching e duas em analista comportamental. Tornei-me microempreendedora, atendi pessoas, ministrei palestras e alguns treinamentos de inteligência emocional. Percebi que não precisava mais de despertador pra levantar e fazer o que eu amo.

Eu trabalho ajudando as pessoas a tomarem decisões assertivas, se conhecerem um pouco mais e terem clareza em relação aos seus objetivos. Também as ajudo a montar e desenvolver seus próprios planos. Aplico testes que auxiliam na descoberta de seus padrões de personalidade, forças pessoais, motivadores de carreira, linguagem de valorização, etc… Meu trabalho é ajudar as pessoas a encontrar sentido. E sabe o que é mais legal? Tudo o que eu faço profissionalmente já aconteceu comigo!

Como diria Sol Almeida, “o mundo gira, palmas pras voltas que o mundo dá.. quem me vê dançando assim, mão pra frente, gira gira, tô limpando você da minha vida”... De fato, estou limpando a atuação jurídica da minha vida!

Ao longo dos meus 28 anos, um dos aprendizados mais significativos que tive foi o de honrar e respeitar a minha própria história e é com esse sentimento de honra que eu encerro essa etapa da minha vida.

Conheci pessoas maravilhosas enquanto fiz parte do mundo jurídico, algumas dessas pessoas caminham até hoje comigo. Igualmente, tive experiências maravilhosas, tais como dia que eu descobri que tinha tirado nota máxima na redação da federal, o que me oportunizou a entrada no curso de direito e o dia que eu li meu nome na lista de aprovados da OAB, ainda no nono semestre da faculdade;

Além disso, casei-me com um colega de faculdade, apaixonado pelo Direito. Ganhei uma amiga que virou irmã (Juliana), outras que cuidaram de mim quando tive depressão (Hannah e Nath), uma que me ensinou absurdamente sobre disciplina (Kiane), outra com quem dividi confidências da juventude e que também dirigiu meu carro durante 6 meses até eu conseguir tirar minha habilitação (Ayara).

Eu também desenvolvi pensamentos ideológicos, comecei a entender algumas realidades políticas e sociais e aprendi a me posicionar melhor como cidadã a partir do meu contato com o universo jurídico. Aprendi bastante com minhas especializações em Direito (previdenciário e trabalhista) e me apaixonei por responsabilidade civil e contratos.

Eu tenho uma história incrível com o Direito, que fez muito sentido para mim até certo tempo. Mas o que me move a partir de agora está relacionado a outras competências, que ao longo de um ano, fui me planejando para começa a executar. Chegou a hora! E novamente, valendo-me de uma licença poética “Joga a mão pra cima e gira, gira…“:

Ps.: Estabilidade não existe!!!! Aviões do Forró acabou…Solanja e Xandinho começaram a seguir carreira solo, ouvi dizer que nem são mais amigos… #arrasada.

EU TENHO A FORÇA

Eu comecei a me preparar para minha transição de carreira em meados do ano passado. Fazia bastante tempo que eu estava insatisfeita com os meus resultados profissionais, então comecei a fazer uma série de levantamentos a respeito do meu histórico pessoal, habilidades e pretensões de vida.

Na época eu tinha a começado a ler um livro chamado “O Mensageiro Milionário”, cuja premissa é auxiliar o leitor a aprender a ser remunerado pelos conhecimentos que tem. Achei simplesmente fantástico!

Verifiquei que eu  já tinha um amplo repertório no tocante à inteligência emocional, construído ao longo da minhas experiências  pessoais, jornada de autodescoberta, cursos e leituras. De fato, esse assunto sempre foi pauta nas minhas elucubrações. Visto isso, cheguei a uma conclusão: é hora de morfar!

Aí veio a parte mais difícil: eu não tinha nenhum botão que pudesse apertar e assim me transformar imediatamente em uma versão poderosa, capaz de assumir corajosamente a responsabilidade pela minha escolha. Então, durante algum tempo fiquei apenas

Esperando meu “alter ego” tomar alguma atitude

Finalmente me permiti caminhar no escuro e depois de 7 meses conclui

E a pergunta que eu deveria ter feito muito antes era “ Valéria Cristina, por que você ficou tanto tempo empacada assim?” 

E eu sabia que a resposta seria “por medo”! Mesmo assim,

A despeito disso, no final eu venci!


Virei Pessoa Jurídica e estou trabalhando com desenvolvimento pessoal. E se você quiser entender um pouquinho mais sobre si mesmo, é só me mandar um sinal!

VLWS, FLWS!

P.S. 01: A minha receita de sucesso foi aprendida com Sandy & Junior:

Muita coragem
E agilidade
Lealdade
E sempre em boa forma” .

P.S.02: Eu sempre quis ser a Power Ranger rosa!!!